domingo, 27 de novembro de 2011

Faça como se o vento fosse seu aliado e esqueça que ele vai bagunçar seus cabelos arrumados. Respire, Inspire, Expire. Sinta seu coração mais leve. Chore, soluce. Acalme-se. Mas acredite, o vento não vai levar seus problemas, mas você pode fazer como uma folha de árvore que acabou de cair. Ela é pequena e fraca, e logo o vento vai levá-la da proximidade de sua árvore-mãe. Vai voar para longe ou não dependendo da força do vento. Mas é fato de que ela vai se movimentar, e por mais que ela tenha se desprendido da sua árvore, ela não pára e segue o curso mais favorável a ela. Faça-se assim. Mantenha-se em equilíbrio, seja a si próprio a sua própria confiança.

sábado, 26 de novembro de 2011

Karina Agradece !

Reconhecimento, trás a autoestima. Confiança, trás a alegria. Um dia de altos e baixos, como todos. Mas hoje, um dia especial. Cansada como sempre, mas contente por casos e acasos. Agradecida pelo voto de confiança. Sim, obrigada! Prometo não decepcionar queridas amigas. 

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Ao reves

"O que ela [a vida] quer da gente é coragem" 
Guimarães Rosa

Falta pouco para as férias
Falta muito a se viver
Tem-se pouco a reclamar
Sempre, muito a se aprender

Viva! Porque estou farta de apenas sobreviver.

domingo, 13 de novembro de 2011

Disfarces


"Vivemos fantasiando com certas situações que gostariamos viver."

Meu sorriso não é o mesmo de sempre, parece que coloquei a máscara da felicidade. No início, a máscara estava perfeitamente bem no meu rosto porém com o passar do tempo ela se desgastou, não gosto de demostrar a solidão que esta dentro de mim. Cada pessoa usa uma máscara para disfarçar algo que não quer mostrar. E as vezes, até nos fantasiamos para conseguir uma felicidade imaginária.


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Símile

Nesta segunda à tarde, quando eu estava no subsolo do coc estudando surgiu uma criaturinha nova na parte do jardim do coc. Era uma pombinha, não sei como ela conseguiu atravessar as grades e chegar ali. Já se passou quase uma semana que ela continua lá. Fiquei pensando porque ela não ia embora, talvez ela tenha se machucado e não conseguisse voar ou ela se acomodou no jardinzinho, afinal o local era tranquilo e ela poderia sobreviver por lá em vez de ir embora. Refleti sobre esse pensamento e percebi eu estava como a pombinha, me sentindo mais segura 'aprisionada numa caixa de espelho' por não correr perigos, estaria tranquila e haveria a ausência de emoções e sentimentos. Se estivesse fora dessa caixinha haveria o perigo de me machucar, de sentir algo que nunca senti, a variação constante de minhas emoções. Isso tudo me assusta -o novo que nunca vi/senti- porém a liberdade é uma grande tentação.

sábado, 5 de novembro de 2011

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Tiempo

Queria não me importar tanto com certas coisas mas eu me importo. As vezes - ou quase sempre- tenho atitudes que eu não queria ter e para não fazê-las encontrei como solução o silêncio, ficar calada, omitir meus pensamento deixando-o incompleto. Esse silêncio me deixa um vácuo porém prefiro um vácuo a ter que enfrentar o que me incomoda. Não deveria estar dessa maneira, e nesse exato momento deixo o tempo se resolver disso tudo.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Sobre

Essa tal semana do saco cheio, que eu nem posso referir-lhe-a como semana, pois ela esta livre a partir de hoje apenas, e que livre de fato, também não é, os afazeres me rondam (e eu fujo, como posso). Mas concordo com o saco cheio, exatamente como estou.